Brasil ainda é o país que mais sofre fraudes na Internet

Desde 2015, quando o Brasil assumiu a liderança entre os países que mais sofrem fraudes na Internet, a porcentagem de usuários atacados todos os anos tem diminuído, mas não o suficiente para deixar de ser preocupante. Em 2017, 18,1% dos internautas brasileiros sofreram phising (invasão de contas para roubo de dados pessoais).

fraudes na internet

Diferentes perfis

Quem informa é a empresa russa Kaspersky Lab. Ela afirma que os ataques sofridos brasileiros diminuíram significativamente de 2016 para agora: no ano passado, 27,6% dos internautas sofreram alguma espécie de fraude. Segundo a empresa, os dados assustadores de 2016 se deram principalmente por causa das Olimpíadas, já que o evento atraiu o interesse de hackers estrangeiros.

Entre os hackers brasileiros existe há certo tempo uma espécie de cultura de “Robin Hood”, segundo a empresa. Isso porque os bancos são sempre os mais visados para ataques, o que fez com que o Brasil se tornasse em 2014 o ambiente virtual mais perigoso para esse tipo de negócio. Em 2015, foram mais de R$1,8 bilhão perdidos por bancos em razão de ataques virtuais.

Tamanha insegurança, no entanto, não existe no campo das empresas de outros ramos, já que o país não é visado por hackers nesse sentido. Entre as companhias brasileiras, cerca de 25% dizem ter sofrido ataques nos últimos dois anos. Em países como Japão e Suíça, esses números passam do dobro: 55% e 54% respectivamente.

Segundo a Kaspersky Lab, o Brasil é também uma fonte de hackers com potencial de atacar diversos países, mas não na mesma proporção em que é vítima de ataques. Quem aparece como líder em projeção de hackers para o mundo é os Estados Unidos (24% dos ataques vêm de lá), acompanhado pela China (9,6%) e pelo Brasil (5,8%).

Os mais visados

Na lista dos países que mais sofreram ataques recentemente, depois do Brasil quem aparece em segundo é a China (12,85% dos internautas atacados), a Austrália em terceiro (12,69%), a Nova Zelândia em quarto (12,06%) e Azerbaijão em quinto (11,48%).

Na mesma publicação, a Kaspersky Lab também trouxe dicas úteis para que os internautas possam se esquivar dos hackers. Não abrir e-mails suspeitos, fazer downloads apenas de fontes confiáveis e deixar o programa antivírus sempre ligado são algumas indicações da empresa.

Fraude virtual um assunto ao qual sempre dirigimos uma atenção especial. Além de deixar nos leitores bem informados, nos preocupamos que consigam utilizar suas redes sem medo algum. Para ficar por dentro de mais notícias e dicas, continue acompanhando o blog do Futurecom, o maior e mais qualificado evento de TI, Internet e Telecom da América Latina.