Entrevista com Ricardo Brognoli, Presidente da HPE Brasil

Inteligência analítica deve se tornar descentralizada

Ricardo Brognoli, da HPE, fala sobre tendências do mercado de tecnologia da informação

A inteligência analítica, hoje centralizada nos data centers, deve migrar cada vez mais para as bordas das redes.

“Consigo trazer informações da ponta da rede para dentro do data center de uma forma já  pré-tratada”, explica Ricardo Brognoli, presidente da HPE Brasil, em entrevista exclusiva ao Futurecom All Year. “Ou seja, não trago dados crus da ponta, porque vou simplesmente ter uma necessidade de uma rede muito mais ampla e também inundar meu data center com dados crus, sendo que não vou usar todos.”

Atualmente, a HPE tem uma linha de servidores, chamada Edgeline, que foi desenhada para sistemas de internet das coisas, para ser instalada em campo e fazer o primeiro tratamento dos dados.

“São servidores que suportam ambientes nocivos à tecnologia, por assim dizer, como pó, água e vento”, afirma o executivo. “Essa linha pode ser instalada no ambiente fabril e entregar ao data center somente informações para tomada de decisão.”

Flexibilidade

A HPE criou a expressão “composable infrastructure” (algo como arquitetura agregável ou modular) para nomear o novo ambiente de tecnologia da informação (TI) encontrado atualmente nas empresas.

“A TI híbrida é o que vivemos hoje em dia”, diz Brognoli. “Híbrida quer dizer que ele não vai ficar sempre numa única plataforma.”

O executivo aponta que, atualmente, as empresas não precisam optar entre o próprio data center, funcionando de maneira tradicional, uma nuvem privada e a nuvem pública: “Ele pode conviver com os três ambientes em qualquer momento”.

Pelo conceito de composable infrastructure, os recursos de TI são ajustados de acordo com a carga de trabalho de cada aplicação.

“Dessa forma, eu consigo, no momento zero, ter uma infraestrutura para poder rodar o billing e no momento seguinte ter nessa mesma infraestrutura rodando ambiente transacional para o meu cliente. Não preciso ter infraestrutura sobrando no meu data center. Compro exatamente aquilo que minha aplicação vai necessitar”, explica.

Assista à entrevista em vídeo de Ricardo Brognoli, presidente da HPE Brasil, ao Futurecom All Year, em que ele também fala sobre temas como o computador do futuro e o mercado brasileiro.