Entrevista com Dimitri Diliani, vice-presidente da Nokia para América Latina

Nokia aposta no crescimento da 4G

Dimitri Diliani fala sobre a grande expansão do LTE e o uso de novas faixas de frequência

A telefonia celular de quarta geração (4G) continua crescendo fortemente no Brasil. “Muitas operadoras limitaram seus investimentos em 2G. Elas precisam manter a rede, mas o investimento já foi feito”, explica Dimitri Diliani, vice-presidente para América Latina da Nokia. “Elas continuam a investir em 3G, mas vemos que os investimentos em 3G também estão chegando num limite. O investimento que acontece no Brasil hoje é principalmente em LTE, para a expansão da cobertura de LTE pelo país.”

Em entrevista exclusiva ao Futurecom All Year, Diliani falou sobre a expectativa do uso da faixa de 700 MHz, hoje ocupada pela TV analógica, para a 4G. “O LTE em 700 MHz traz grande valor ao consumidor. Oferece cobertura melhor, principalmente em áreas rurais. Oferece boa cobertura interna, dentro da casa. Oferece bons serviços para o usuário final. Então acredito que é algo que todos estão esperando, operadoras e consumidores. Só esperamos o espectro ser desocupado. Parte desse espectro estará disponível em algum momento do ano que vem.”

As operadoras também têm buscado reutilizar o espectro de segunda geração (2G) para expandir a cobertura do LTE, tecnologia de 4G. “Também temos novo espectro que será leiloado no Brasil, espero que nos próximos meses, para dar um alívio extra às operadoras, mais capacidade para LTE na rede”, afirma Diliani.

A compra da Alcatel-Lucent por US$ 16,6 bilhões, anunciada em abril, deve ser concluída no começo do próximo ano. A operação já foi aprovada pelas autoridades regulatórias de diversos países, incluindo o Brasil. Diliani destaca a complementaridade dos portfólios das duas empresas: “Poderemos oferecer para as operadoras no Brasil soluções fim a fim mais otimizadas. Vamos combinar duas grandes organizações de pesquisa e desenvolvimento para preparar nossa indústria para a próxima década, com 5G, com migração para soluções de nuvem, para trazer o próximo nível de tecnologia ao mercado”.

O vice-presidente da Nokia enxerga grande oportunidade nas aplicações de internet das coisas, que devem multiplicar por 10, até o fim da década, a quantidade de dispositivos conectados às redes de telecomunicações. “Vemos algumas aplicações que não eram nem sonhadas no passado. Acho que será muito animador.”

Assista ao vídeo com a entrevista.

 

Por Renato Cruz