Mesmo em smartphones, conexão fixa é mais utilizada que a móvel

Recentemente, um estudo da britânica OpenSignal apresentou uma nova visão sobre conectividade e modais de acesso à internet. Em linhas gerais, no imaginário social, a ideia de que as conexões móveis universalizaram o acesso à internet ainda predomina, mas os números registrados contrariam esse ponto de vista. De acordo com a pesquisa, as redes fixas são ainda as mais responsáveis pelo acesso, mesmo no caso de smartphones ou tablets.

conexão-fixa-internet-futurecom
Foto: reprodução/ tecstudio

 

Para chegar a essa conclusão, a OpenSignal se valeu de um aplicativo que analisa a experiência real de navegação via smartphones, a fim de medir a qualidade das conexões estabelecidas. Nessa perspectiva, a análise constatou uma crescente do acesso via WiFi em todo o planeta.

A crescente, como relata a empresa, não se dá apenas no volume de dados transferidos, mas também no tempo conectado. Algumas fabricantes de aparelhos chegaram a relatar que cerca de 70% do tráfego de seus clientes é feito pela estrutura da rede fixa.

Em 46 dos 95 países analisados, os smartphones apresentaram que mais de 50% deles passam a maior parte do tempo conectados em redes fixas. No Brasil, por exemplo, de 50% a 60% dos smartphones se enquadram nesse caso específico. No ranking global o nosso país fica 12º lugar em tempo de uso de WiFi. Em resumo, cada hora navegada por aqui representa 35 minutos em redes fixas.

A pesquisa ainda aproveitou para fazer uma ressalva importante: o acesso via WiFi ainda tem um preço imbatível em relação às redes móveis. Para acompanhar o estudo na íntegra, é só dar uma olhadinha aqui.

E para conversar mais sobre tipos de conexão, banda larga móvel acesso 4G e outros assuntos específicos desse segmento, participe do Futurecom, o mais qualificado evento de TI, Telecomunicações e Internet da América Latina.