O país que está abolindo o dinheiro em troca de transações digitais

Na Somalilândia, as pessoas cansaram de carregar milhões e milhões de cédulas do dinheiro local para realizar transações simples. No país onde é necessário 9 mil shillings (moeda nacional) para ter o equivalente a um dólar, os habitantes estão utilizando créditos de celular para fazer transações digitais e adquirir produtos.

Contextualizando

Pouco depois da declaração de independência do país, em 1991, a desvalorização da moeda local foi constante. Os cambistas que trocam os shillings por dólares e euros transitam com carrinhos de mão carregavam (e ainda carregam) pesadas quantidades da moeda. Esse cenário fez com que duas empresas de tecnologia, a Zaad e a e-Dahab, criassem uma economia virtual que facilita a logística financeira das pessoas.

Os usuários depositam valores nas contas de uma das empresas e recebem o referente transformado em créditos para celular. Dessa forma, podem utilizar essa “moeda virtual” – que na verdade utiliza o dólar como base – para realizar transações digitais nos comércios. A maior parte dos comerciantes do país já utilizam essa forma de pagamento, também porque ela facilita suas vidas.

Não é nem necessário internet para realizar essas transações por lá. Os usuários utilizam números e códigos para fazer essas movimentações, da mesma forma em que às vezes são feitos os pedidos por crédito para celulares pré-pagos aqui no Brasil.

Segundo os habitantes do país, existe o lado bom e o lado ruim de tudo isso. Muita facilidade chegou com essa logística digital, sendo que pessoas conseguem lidar melhor com seu dinheiro, têm menos chance de serem assaltadas e podem ajudar financeiramente familiares e amigos distantes de uma forma mais fácil.

Já o lado ruim fica por conta da extrema dependência das pessoas das empresas responsáveis por lidar seu dinheiro. Suspeitas de corrupção existem entre muitos. A dependência de uma moeda estrangeira, o dólar, para conferir o valor ao dinheiro local também é muito grande – o dinheiro investido pelos habitantes é convertido em dólares pelas empresas responsáveis.

De qualquer forma, o exemplo desses países traz discussões interessantes para um mundo cada vez mais influenciado pelas tecnologias digitais para fazer transações. As bitcoins já são um exemplo de como as moedas digitais podem ser um sinal de mudança da maneira convencional de lidar com o comércio e finanças.

Para ficar bem informado sobre todas as principais notícias do mundo digital, continue acompanhando o blog do Futurecom, o maior e mais qualificado evento de TI, Internet e Telecom da América Latina.

Por redação Futurecom, com informações de BBC.