Os dispositivos móveis como extensão do corpo humano

Dispositivos móveis como extensão do corpo humano
Imagem: reprodução/ Corbis

A mobilidade é, sem dúvidas, uma realidade em nossas vidas. Atualmente, é possível manter-se conectado de locais nunca antes imaginados e, graças à popularidade do computador portátil como acessório, a tecnologia está em constante evolução.

Cada vez mais evoluídos e intrínsecos à vida humana, os dispositivos móveis se tornarão uma extensão do corpo humano em questão de poucos anos. O responsável pela área de software e aplicativos da Qualcomm na América Latina, Dário Dal Piaz, afirma que essa é uma das tendências das tecnologias móveis.  Para ele, “o dispositivo vai ser uma extensão do corpo da pessoa: ele vai coletar informações e filtrá-las automaticamente, agindo mais do que como uma secretária do usuário”.

Essa migração tecnológica – dos desktops e computadores pessoais para os dispositivos móveis – só é possível devido à redefinição da computação e o aumento na capacidade de controle de grandes quantidades de dados. O porta-voz da Qualcomm disse ainda que lidar com o tráfego e montante de dados futuros será o verdadeiro desafio das empresas.

O papel dos aplicativos

Os aplicativos são uma característica típica do mercado mobile e, consequentemente, atraem a atenção e desejo dos consumidores. Como já era de se esperar, a indústria dos apps representa uma grande parcela dos ganhos do setor móvel e, segundo dados da Vision Mobile, os aplicativos movimentam de US$ 60 bilhões a US$ 72 bilhões por ano.

O Brasil, por exemplo, é um mercado emergente de aplicativos. Porém, ainda há um déficit de desenvolvimento nacional e, por isso, o país é um grande importador de softwares. Dal Piaz afirma que o Brasil possui entre 30 e 35 mil desenvolvedores mobile e o desafio do governo é aumentar o incentivo e coordenar a demanda para que, dessa maneira, o setor cresce internamente.

Para o responsável pela área na Qualcomm, as compras in-app são uma das formas mais efetivas de receita e o HTML 5 pode ser considerado uma plataforma que vai se popularizar no mercado – não apenas no âmbito global mas também na América Latina.

A América Latina possui a maior taxa de crescimento em receitas de aplicativos do mundo e o Futurecom Ano 15 vem para iniciar discussões e facilitar o contato entre profissionais das áreas de TI, Telecom e Internet como sendo o maior evento do tipo na AL. Confira a lista de Hot Topics do Congresso Internacional.

Fontes: Mobile Time