Para o Facebook, os óculos substituirão os smartphones

Para o CEO e fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, os óculos serão a próxima grande plataforma de computação. Pelo menos foi o que ele falou na F8, uma conferência voltada a desenvolvedores nos EUA.

Segundo o pesquisador-chefe do projeto Oculus, empresa que desenvolve o visor Rift de realidade virtual – pertencente ao Facebook – Michael Abrash, em 2022 teremos os óculos substituindo os smartphones como gadget inseparável das pessoas.

A aposta de Abrash é que em cinco anos a tecnologia caia no gosto popular e comece a intensificar ainda mais o seu desenvolvimento. Será o “momento Macintosh” do acessório, em alusão ao momento de lançamento do primeiro Mac original pela Apple, o primeiro computador doméstico com interface orientada pelo usuário.

facebook-oculos-futurecom

Para o cientista, em 20 ou 30 anos, estaremos carregando nossos óculos para todos os lugares, ao invés de nossos celulares, aplicativos e acessórios. E, através eles, teremos acesso à realidade aumentada, virtual e tudo que há entre as duas.

Apesar de parecer muito otimista, a ideia não é tão original nem impossível visto que já existe no mundo atual o HoloLens, visor da Microsoft  que sobrepõe a vista com imagens tridimensionais. Entretanto ele está disponível apenas para desenvolvedores, possui algumas limitações e está longe de estar disponível para a população. Outro exemplo é o Google Glass, que ficou para trás no esquecimento por causa do seu preço, limitações e questões sobre segurança.

Somente o futuro irá dizer se a previsão da gigante das redes sociais se concretizará e quais as implicações que isso irá causar na sociedade. O certo é que, até lá, muita coisa precisa ser desenvolvida e aprimorada para que a tecnologia possa dar grande passos em nosso favor.