Saiba como serão as cidades em 2045, segundo Ian Person

Um dos mais renomados futurologistas e engenheiros de atualidade, Ian Person, apresentou recentemente um relatório onde aponta suas previsões para as cidades no ano de 2045. Segundo ele, robôs, impressoras 3D e inteligência artificial farão parte do cotidiano da sociedade urbana em pouco menos de três décadas. Saiba mais!

cidades-2045-futurecom
Foto: reprodução/ Ciclo Vivo

 

Cidades verticais

Person apontou a existência de verdadeiros arranha-céus, onde será possível interagir diretamente com o edifício através da inteligência artificial. Tal mecanismo tornaria possível realizar solicitações como mudança de temperatura e iluminação.

Além disso, tais edifícios funcionariam como grandes “cidades verticais”, os quais abrigariam milhares pessoas. Dentro deles seria possível morar, trabalhar e realizar atividades de lazer, como ir às compras ou ao cinema. Se analisarmos essa previsão, veremos que ela não está tão longe da nossa realidade atual, visto que atualmente muitos condomínios já abrigam áreas comerciais, residenciais e de lazer em um mesmo empreendimento.

O engenheiro também ressaltou a existência janelas especiais, espécie de telas de alta resolução que permitirão aos moradores contemplar paisagens de realidade virtual, como as dunas de areia do planeta Marte ou a Península Antártica.

Robôs na construção civil

Os robôs humanoides – com características físicas semelhantes aos humanos – também estarão presentes em nosso dia a dia, principalmente na construção civil.

Segundo o engenheiro, os robôs substituirão os humanos somente em funções onde há alto risco de vida, mas serão predominantemente utilizados para aumentar a produtividade dos seres humanos, trabalhando, assim, lado-a-lado.

Person também cita a presença dos exoesqueletos, uma tecnologia militar onde quem o veste pode facilmente levantar cargas acima de 80Kg.

Impressoras 3D

Esqueça as tradicionais pinturas residenciais e muros de tijolos. Dentro de trinta anos será possível estampar edíficios inteiros, através impressoras 3D. Tais máquinas